FAESA vence o Prêmio IEL de Estágio em duas das três categorias

A premiação, que reconhece as boas práticas de empresas, instituições e estudantes aconteceu hoje na sede da Findes.


Publicado em: 28 de agosto de 2018

A FAESA foi reconhecida, mais uma vez, por suas práticas acadêmicas inovadoras e conquista o primeiro lugar entre as instituições de ensino superior capixabas no Prêmio IEL de Estágio. Além da premiação na categoria Instituição de Ensino Destaque, a FAESA também comemorou a conquista da aluna Letícia Liberato Silva, do décimo período de Engenharia de Produção, que venceu o primeiro lugar e leva para casa R$ 3,5 mil e o reconhecimento público pelo seu trabalho desenvolvido na indústria Duralevi, indústria de pias e reservatórios em Cariacica.

O Prêmio IEL de estágio é uma honraria criada pelo Instituto Euvaldo Lodi para instituições de ensino de todo o Brasil que trabalham com programas de estágios. A premiação é dividida em várias categorias e ocorre em duas etapas; a primeira delas é a regional, em que a FAESA concorreu e venceu, e a segunda é a etapa nacional, onde fomos premiados nos anos de 2016 e 2017.

A iniciativa do IEL reconhece os estudantes que se destacam e as instituições de ensino que apoiam, promovem, orientam e incentivam a prática de estágio durante a formação acadêmica dos alunos, além das empresas com melhores práticas de atração, desenvolvimento e retenção de estagiários, que no caso deste ano foi a empresa Roca Sanitários, localizada no município de Serra.

O Prêmio foi recebido pela supervisora do Núcleo de Estágio e Emprego da FAESA, Marciane Jahring, e pelo Diretor de Desenvolvimento Institucional, Erthélvio Monteiro Nunes Jr. Para Marciane, o resultado positivo reforça a proposta de valor da Instituição, que se preocupa com a empregabilidade de seus alunos e busca entender as necessidades do mercado de trabalho para formar profissionais de excelência.

Além da premiação como instituição de ensino com as melhores práticas do Espírito Santo, três alunos da FAESA, do curso de Engenharia de Produção, ficaram entre os finalistas na categoria Estagiário Destaque, sendo a aluna Letícia Liberato Silva a vencedora na categoria. Esses alunos foram selecionados por promover mudanças e melhorias nos processos de suas empresas antes mesmo de se tornarem profissionais formados.

1º Lugar: Estagiária de Destaque – Letícia Liberato Silva,  10º período de Engenharia de Produção.

Para a Letícia, do 10° período do curso de Engenharia de Produção, que foi acompanhada na cerimônia de premiação pelo pai emocionado, senhor José Carlos Deus e Silva, “é um orgulho e uma honra saber que o que você fez vai ajudar a empresa, e ainda é reconhecido e valorizado. Isso deixa a gente lá em cima.”

O projeto da aluna Letícia Liberato Silva, que conquistou o primeiro lugar,  visa reduzir o desperdício de matéria prima. Para isso, no processo de produção dos tanques da empresa Duralevi foi criado um sistema mecânico/hidráulico para garantir o padrão de peso dos tanques, eliminando o excedente e a alta variabilidade de peso que existia antes. A ideia surgiu logo que Letícia começou o estágio. “Comecei a acompanhar os indicadores da empresa e percebi que havia muito gasto com matéria-prima, e que esse gasto era muito variado. Cada mês um gasto diferente. Comecei a pesar os tanques para saber de onde vinha o desperdício e percebi que os tanques de mármore estavam com o peso muito variado. Daí surgiu a ideia de fazer um sistema para a pesagem. O conhecimento veio da matéria de Engenharia de Métodos, onde a gente viu o pensamento enxuto, que visa a redução de desperdícios na empresa, e isso foi a base para fazer o projeto.” 

José Afonso Pizzeta, aluno do 6º período do curso de Engenharia de Produção, foi um dos finalistas e fala um pouco de como é participar da premiação. “É uma realização muito grande, principalmente pelo período curto para desenvolver o projeto, e superação é o principal sentimento” conta José, que trabalha na Roca Sanitários há 5 meses e atuou durante 3 meses para criar uma ferramenta que facilita o orçamento diário de produção. E completa: “Já estou muito feliz de estar entre os finalistas, e é muito gratificante poder realizar o projeto dentro da empresa.

A ferramenta foi desenvolvida no Excel, com auxílio de programação e tem por objetivo auxiliar os setores da empresa no momento de fazer o orçamento diário de produção. É uma ponte entre o que está sendo anotado e o que vai ser lançado no sistema.

José Afonso identificou o problema, propôs a melhoria e pôde desenvolver o projeto para melhorar o setor de Prensa. Segundo o aluno “A disciplina de gerência de projetos, logo no primeiro período, me permitiu uma visão de como gerenciar a situação, e principalmente técnicas de programação, já que como eu usei muita programação, foram os fundamentos que aprendi na faculdade, o raciocínio lógico, que me permitiram desenvolver o programa”.

O objetivo do trabalho da aluna Vanessa Del Puppo Lírio, do 8º período de Engenharia de Produção da FAESA e uma das finalistas, foi automatizar a conferência de notas fiscais com os pedidos de compra, levando essa conferência para um sistema de automação. Ela entrou na empresa em janeiro deste ano, e com um mês de empresa foi chamada para conversar sobre alguns pontos que poderiam melhorar na empresa. Conversando com o gerente de logística, perceberam a necessidade de melhorar esse processo, e a partir desse momento ela deixou de trabalhar nas rotinas de seu setor para investir seu tempo exclusivamente no desenvolvimento da ferramenta. “Tudo o que envolve a engenharia de produção, de propor soluções viáveis e de baixo custo para melhorar processos tem a ver com o projeto, já que com duas ou três customizações já conseguimos resolver muita coisa. Fiquei muito feliz, principalmente porque o prêmio tem muita visibilidade nas empresas do setor industrial, mas também pelo reconhecimento.”


Notícias Relacionadas