Engenharia de Petróleo

Formação de excelência, com professores qualificados e a estrutura de umas das 10 melhores instituições de ensino particular do país.

ENGENHARIA DE PETRÓLEO

Ótima infraestrutura de laboratórios, incentivo à participação em projetos de extensão e pesquisa desde o primeiro período, e possibilidade de dupla formação com mais dois anos de estudo, fazem parte do nosso compromisso com a qualificação do aluno.

Duração: 5 anos
Modalidade: Presencial
Turno: Matutino e Noturno
Formação: Bacharelado
Regime: Semestral
Mensalidade 2017:
VER MENSALIDADE R$ 1249,00
Horário das aulas:

Matutino: 7h às 12h – Noturno: 18h45 às 22h
*Podendo sofrer alterações conforme estrutura curricular.

Autorizado pela Portaria MEC Nº. 721 de 27 de novembro de 2014.
Dupla Formação com mais 2 anos estudo.


  • O curso
  • Professores
  • Disciplinas
  • Inovação Pedagógica
  • OBJETIVOS DO CURSO

O curso

O Engenheiro do Petróleo tem um campo de trabalho bastante amplo e complexo, podendo atuar desde a pesquisa para descoberta de novas jazidas, à exploração de reservatórios, produção, beneficiamento, comercialização, transporte e logística do petróleo e seus derivados. Em nosso curso, o aluno é preparado para operar em toda a cadeia produtiva desta indústria.

O aluno que estuda na FAESA conhece uma metodologia inovadora e desde o início do curso encontra toda uma estrutura voltada para apoiar e dinamizar o seu aprendizado, como a chance de participar de atividades de extensão e pesquisa a partir do primeiro período, ótima estrutura de laboratórios e incentivo à qualificação por meio da estrutura curricular que permite uma dupla formação com mais dois anos de estudo.

Nosso empenho em formar profissionais altamente capacitados é grande e tem valido à pena, pois mais de 80% de nossos egressos estão no mercado de trabalho.

COORDENADOR(A)

Prof. José Tasso Aires de Alencar Filho

Mestre em Engenharia de Produção

Fale com a coordenação: jose.alencar@faesa.br


  • Área de Atuação
  • Perfil Profissional
  • Mercado de Trabalho
  • Principais áreas de atuação- Prospecção de reservatórios
    – Extração de petróleo e gás
    – Desenvolvimento de equipamentos
    – Transporte e distribuição de petróleo e gás
    – Refino
    – Comercialização

Esse profissional será capaz de:

  • analisar, localizar e fazer a prospecção da área de jazida de petróleo;
  • analisar o potencial econômico, a viabilidade as principais características geológicas da região;
  • avaliar os tipos de reservatórios e suas específicas características de exploração;
  • determinar a melhor técnica de extração do petróleo;
  • elaborar o projeto de extração;
  • definir a estrutura da linha de suplemento necessária para extração;
  • coordenar a execução dos projetos relativo à prospecção e exploração do petróleo, aos reservatórios, aos poços e a produção de petróleo;
  • acompanhar todo o processo de extração e explotação;
  • elaborar plano de logística de transporte, armazenamento e estocagem;
  • acompanhar o processo de transformação dos combustíveis;
  • trabalhar diretamente com refino e a distribuição do petróleo nas suas diversas formas (óleo ou derivados)

O profissional atua nas diversas fases da cadeia produtiva do petróleo, do gás natural e de biocombustíveis, como exploração, produção, transporte, refino, comercialização, distribuição e logística, e domina suas principais tecnologias, métodos e sistemas. Ele realiza, com responsabilidade social, autonomia, consciência ambiental e ética, as atividades de supervisão e apoio ao gerenciamento de empresas que atuam direta ou indiretamente nesses setores.
Conforme ganha experiência, o profissional vai assumindo funções de maior responsabilidade. No auge, pode atingir cargos de liderança e gestão e a direção da empresa, dependendo do seu conhecimento técnico. E, em geral, deve decidir por novas pesquisas, perfurações ou investimentos. É possível também atuar como consultor.

Exigências para atuar na profissão:    

– Ter diploma de graduação em Engenharia de Petróleo
– Estar registrado no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea).

Regulamentação
Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966, e Resolução nº 509, de 26 de setembro de 2008.

Ganho inicial (média mensal)    
R$ 4,3 mil.

Ganho escalão intermediário (média mensal)
R$ 6,1 mil.

Ganho no auge (média mensal)
De R$ 9 mil a R$ 11 mil.

Fonte: Guia de Profissões (ig.com.br)

Aline Gonçalves Louzada Mestre
Andressa C. Marques Dessaune Mestre
Brunna Oliveira Guimarães Mestre
Estevão Frigini Mai Doutor
Gilberto Maia de Brito Mestre
José Alves Rodrigues Mestre
Kennedy Scopel Gomes Mestre
Leandro Valoto Mestre
Leonardo Santos Gorza Mestre
Lucia Helena Sagrillo Pimassoni Mestre
Lúcio Passos Patrocínio Mestre
Luiz Otavio da Cruz de Oliveira Castro Mestre
Maria Alice Moreno Marques Mestre
Max Mauro Coser Mestre
Michela Sagrillo Pegoretti Fadini Mestre
Michella Sagrillo Pegoretti Mestre
Newton Eloi Oliveira de Azevedo Mestre
Osmar Soares Barros Mestre
Samir Aride Mestre
Susi Mara Rosindo Mestre
Warley Teixeira Guimarães Mestre

1º Período

  • Cálculo I
  • Desenho Técnico
  • Geologia
  • Introdução à Engenharia
  • Legislação do Petróleo

2º Período

  • Cálculo II
  • Física Experimental I
  • Física I
  • Fundamentos da Engenharia do Petróleo
  • Geologia do Petróleo
  • Química Geral

3º Período

  • Álgebra Linear e Geometria Analítica
  • Cálculo III
  • Física Experimental II
  • Física II
  • Geopolítica do Petróleo
  • Química Inorgânica

4º Período

  • Equações Diferenciais
  • Física Experimental III
  • Física III
  • Geofísica do Petróleo
  • Química Analítica
  • Química Orgânica I
  • Sociologia

5º Período

  • Ciência e Tecnologia dos Materiais
  • Físico-química
  • Geologia Marinha
  • Probabilidade e Estatística
  • Termodinâmica Aplicada

6º Período

  • Engenharia de Poço I
  • Economia da Engenharia
  • Impactos Ambientais da Indústria do Petróleo
  • Química Do Petróleo
  • Tecnologia dos Materiais Aplicada à Indústria do Petróleo
  • Tecnologias de Refino
  • Transferência de Calor e Massa

7º Período

  • Engenharia de Poço II
  • Engenharia de Reservatório de Petróleo
  • Estruturas Offshore
  • Máquinas de Fluxo
  • Máquinas Térmicas

8º Período

  • Estudos Integrados de Reservatório
  • Introdução À Modelagem de Bacias
  • Optativa I
  • Processos de Separação e Refino
  • Projeto do Trabalho de Conclusão de Curso
  • Projetos de Engenharia
  • Sistemas de Controle E Automação

9º Período

  • Avaliação de Formação
  • Ética e Orientação Profissional
  • Gestão de Riscos e Segurança do Trabalho
  • Gestão Estratégica e Empreendedorismo
  • Métodos de Elevação Artificial

A inovação pode ser entendida como um conjunto de intervenções, decisões e processos que, com certo grau de intencionalidade e sistematização, alteram atitudes, culturas, ideias, conteúdos, modelos e práticas.

Aplicando-se este conceito à educação, é pertinente considerar que as inovações pedagógicas buscam novas formas para promoverem a elaboração e a administração do currículo, das relações em sala de aula e do espaço escolar, de forma diferenciada, por meio de uma perspectiva renovadora de programas e projetos, materiais curriculares, estratégias de ensino e aprendizagem, modelos didáticos, visando à construção dos conhecimentos socialmente relevantes, que permitam o desenvolvimento de uma nova formação mais compreensiva e integral dos alunos.

SAIBA MAIS

A missão deste Curso é formar Engenheiros de Petróleo capazes de participar do desenvolvimento da sociedade, por meio da sua atuação em toda cadeia produtiva da indústria petrolífera, visando sempre um crescimento econômico que harmonize tecnologia, homem e meio ambiente.

Essa formação compreenderá a aquisição de competências nas seguintes dimensões: técnico-científica (saber conceber e fazer); social e cultural (saber conviver); moral (saber ser); política (saber agir); estratégica (saber pensar e agir estrategicamente).

Dessas dimensões educativas, decorrem os objetivos gerais do Curso que são os seguintes:

  • formar Engenheiros de Petróleo com competências para lidar com os novos desafios de um mundo globalizado, com os avanços da ciência e da tecnologia, contribuindo, de forma ativa e efetiva, para o desenvolvimento do país;
  • desenvolver conhecimentos específicos relacionados com a Engenharia de Petróleo, no sentido da construção permanente e da inovação coerentes com o desenvolvimento científico, tecnológico e social;
  • desenvolver competências básicas para análise, interpretação e intervenção na realidade considerando as condições atuais e emergentes relacionadas à prospecção, exploração, produção, explotação, processamento e refino do petróleo e dos desdobramento sociais dessas atividades;
  • desenvolver capacidades para a adequada convivência sócio-profissional, exercendo papéis diferenciados, dentre outros os de liderança, negociação, de forma compatível com o contexto no qual está inserido;
  • proporcionar o aprimoramento técnico da mão-de-obra existente no Estado, visando prepará-la para enfrentar um ambiente competitivo no mercado de trabalho;
  • propiciar uma formação humanística ao Engenheiro de Petróleo, levando-o a refletir sobre as questões sociais, políticas e tecnológicas, em âmbito transnacional, estadual e local;
  • contribuir com a sociedade brasileira, mais especificamente a sociedade espírito-santense, promovendo eventos culturais e científicos com os objetivos de difundir os conhecimentos e pesquisas realizadas pelo curso de Engenharia de Petróleo;
  • atender à demanda por ensino superior voltados para a área tecnológica, face às iminentes necessidades do Estado e do Brasil, decorrentes do atual ciclo de desenvolvimento;
  • contribuir com as empresas instaladas, e as que vierem a se instalar no Estado, formando parcerias, a fim de desenvolver pesquisas e inovações tecnológicas bem como transferir tecnologias nas áreas específicas de cada uma delas;
  • promover aproximação da Faculdade com as organizações públicas e privadas, visando aplicar os conhecimentos, em projetos de extensão, estudos e pesquisas, contribuindo para a solução de problemas relacionados à produção de poços e jazidas de petróleo e gás natural e atividades conexas;
  • criar parcerias com empresas privadas e públicas da região possibilitando o aproveitamento da mão-de-obra local.